BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Que as vozes não se calem...Que se cumpra Portugal


Deixem-me gritar...pelos sonhos que de negro se vestiram
No abismo do hoje sem amanhã...neste barco a ir ao fundo
Nesta janela de liberdade que os cravos de Abril abriram
Pela carne retalhada...clama poeta o teu grito ao mundo

Deixem-me gritar pelo tempo de secura...as mãos vazias
Pelos orfãos da esperança...pelos sonhos pisados no chão
Chorando Abril nascido em flor...feito de esperas e utopias
Abre os olhos meu povo...não deixes que tudo fosse vão

Deixem-me gritar...pelo tempo futuro...de nuvens coberto
Pela liberdade com fome...gritai poetas a noite deste povo
Lutai meu povo na rua...de punhos cerrados e passo certo
É tempo de ressuscitar Abril...é tempo de nascer de novo

Deixem-me gritar...pelas Catarinas que clamam em nós
Desfraldem poetas a bandeira das palavras...digam NÃO
Pelos que não sabem gritar...emprestem-lhe a vossa voz
Soltem as palavras poetas...que trazem guardadas na mão

Deixem-me gritar ...pelos filhos da miséria...da escravidão
Por todos os homens que dormem nos braços da incerteza
Deixem-me gritar...pelas crianças a quem roubaram o pão
E pelas mães que embalam os filhos no regaço da pobreza

Deixem-me gritar...pelos grilhões que nos esmagam dia a dia
Por esta raiva que me cresce no peito e esta ânsia aprisionada
Correndo à rédea solta como um bramido de silêncio e agonia
Deixem-me apenas gritar...por um Abril que já foi madrugada

Deixem-me gritar...pelos cravos que de negro se cobriram
Pelas promessas rasgadas com o chicote da desigualdade
Por todas as mães que choram...pelos filhos que partiram
Deste chão que é nosso...deste povo que já gritou liberdade

Não deixes poeta que a palavra emudeça num grito sufocado
Grita poeta...as tuas armas são as palavras...faz delas punhal
Faz desse Abril o mais belo poema de amor jamais cantado
Que nunca mais as vozes se calem...que se cumpra Portugal

117 comentários:

  1. UN TEXTO MUY SENTIDO, UN PEDIDO DE LIBERTAD!!
    UN ABRAZO

    http://enancasdelarazon.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Que belo grito numa poesia pujante, vibrante. Com uma canção ao fundo de fazer sonhar com as flores de Portugal! abração

    ResponderEliminar
  3. Lindo poema, cheio do teu sentir! bjs,chica

    ResponderEliminar
  4. ....esse felizmente, ainda é o sentir de muitos, que farão de tudo, para que se mantenham abertas, as "Portas que Abril Abriu".
    Adorei....Bom Feriado...
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Olá Rosa e que tudo esteja bem contigo!

    Passando para ler mais este teu belo sentir cá expresso em belas e simples palavras, aliás, como sempre encontro por cá, belos e intensos escritos!

    A liberdade acima de tudo é um sentir, assim somente conhece e valoriza a liberdade quem em algum momento já deixou de tê-la!
    Agradeço por compartilhar teus pensamentos, e também pela amizade que expressa em tuas visitas, e assim desejo que seja sempre tão intenso e feliz o teu viver sempre livre, um grande abraço e, até mais!

    ResponderEliminar
  6. Bom dia, Rosa. Querida, quanto força você colocou neste poema!
    Que as vozes não se calem, que os oprimidos não se conformem, que o poeta com o seu dom, lute, fale e transforme, faça a mudança acontecer.
    Triste ver que a miséria não só material, mas emocional se instalara profundamente e o povo vive nessa condição de aprisionamento.
    Que a liberdade se faça em qualquer canto e que em nós exista o espírito da rosa desabrochando, não esmorecendo jamais.
    Parabéns, amiga.
    Belíssimo.
    Beijos na alma e lindo dia!

    http://redescobrindoaalma.blogspot.com.br/
    (blog pessoal)

    http://carinhosemselosdosamigos.blogspot.com.br/
    (blog pessoal)

    http://refugio-origens.blogspot.com.br/2014/04/romantismo.html
    (blog onde eu escrevo).

    ResponderEliminar
  7. cumpra-se portugal nessa voz que, mesmo com espinhos, jamais se silencie...

    beijinho grande, querida amiga!

    p.s. que linda a melodia... há quanto tempo não escutava esse vento que silencia a desgraça...

    ResponderEliminar
  8. Querida Rosa Maria

    Fizeste do teu bonito poema, uma arma bem aguçada, que os "grandes senhores", precisavam de ler bem. Deviam ler e estudar os poetas deste país, que não se cansam de alertar, para o quanto fazem mal em não estudarem melhor os dossiês.
    Estamos a festejar uma Revolução que não deu a liberdade de falar.
    Uma democracia, apenas formal, uma "ditadura" económica.
    Reportando-me, podes imaginar o que, daqui estou a aprender sobre o Brasil e da historiografia, dos portugueses, no pais irmão.
    O meu próximo livro, TOP SECRET OLAVO (prosa - novela policial) é paradigmático.
    Beijinhos de amizade

    ResponderEliminar
  9. Querida Rosa Maria

    Fizeste do teu bonito poema, uma arma bem aguçada, que os "grandes senhores", precisavam de ler bem. Deviam ler e estudar os poetas deste país, que não se cansam de alertar, para o quanto fazem mal em não estudarem melhor os dossiês.
    Estamos a festejar uma Revolução que nos deu a liberdade de falar.
    Uma democracia, apenas formal, uma "ditadura" económica.
    Reportando-me, podes imaginar o que, daqui estou a aprender sobre o Brasil e da historiografia, dos portugueses, no pais irmão.
    O meu próximo livro, TOP SECRET OLAVO (prosa - novela policial) é paradigmático.
    Beijinhos de amizade

    ResponderEliminar
  10. Oi Rosa,

    O tempo encarrega de libertá-los, cerrem os punhos e vão à luta(todos), derrubam quem os acorrentam.
    Belo grito
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  11. Gritamos todos cantamos Liberdade



    beijos querida

    vou estar em pausa maio e junho

    se feliz tudo de bom.

    ResponderEliminar
  12. Rosa Maria

    Porque não consegui apagar, no primeiro comentário, ressalvo: não por nos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Se eu tivesse um cravo, nadava até Portugal para dá-lo a vc, grande poetisa.
    Maravilhosooooo
    Beijos,
    Renata

    ResponderEliminar
  14. Olá Rosa Maria,agradeço por tão lindas palavras em meu blog,pelo meu aniversário de casamento.
    Amei seu poema como sempre,palavras encantadoras.
    bjs amiga e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
  15. Grita ao mundo poeta,
    Não deixes roubar a liberdade
    Sopra forte o vento na floresta
    Leva para longe da gente a maldade!

    Portugal não pode morrer,
    Nem tão pouco a democracia
    Lutaremos para vencer
    25 de Abril, dia de alegria!

    Bom fim de semana para você, minha amiga Rosa Maria (Sonhadora), um beijo,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  16. Lindo poema minha amiga, hoje é uma data histórica para seu País,A Revolução dos Cravos, li, assisti filme a respeito, tens um lindo dom de poder fazer em versos os sentimentos aflorarem,amei ler!
    Abraços minha linda amiga de alma linda!

    ResponderEliminar
  17. E que se grite...
    Hoje e sempre...
    Num poema de amor...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  18. Sempre lindos, plenos de intensidade os seus versos, querida.. e que nada e nem ninguém consiga calar o grito sentido de um Poeta...
    Bom fim de semana, beijinhos,
    Valéria

    ResponderEliminar

  19. Hello, Sonhadora.

    Good feeling works.
    Thank you for your visiting always.

    I wish You all the best.
    Greeting
    From Japan, ruma ❃

    ResponderEliminar
  20. Sonhadora obrigada por tudo, pela delicadeza das palavras pela lembrança , eu envio para ti um grande abraço e te desejo uma final, semana de muita Paz, vou te fazer um pedido o consentimento para postar esta linda poesia, se não puder não tem importância, um abraço carinhoso , Celina

    ResponderEliminar
  21. Um belo poema, mais do que isso um grito de revolta, comparável aos que se escreviam na clandestinidade do 24 de Abril. Porque nos tiram tudo, até o direito a uma velhice digna.
    Parabéns pelo poema.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  22. Oi Rosa
    Um pujante grito pela liberdade em versos maravilhosos. Um deleite te ler amiga. Um maravilhoso final de semana
    Beijos com carinho
    Gracita

    ResponderEliminar
  23. Que se cumpra Portugal, na liberdade e no trabalho perseverante e digno de um povo que outrora descobriu mundos novos e os denunciou.
    O amor à pátria nunca deveria morrer.
    Patria-Mater na expressão de Natália Correia.
    Sempre passo por aqui, com agrado.

    ResponderEliminar
  24. Querida amiga Rosa Maria, que poema carregado de verdades, força e vontade de lutar em prol de um povo menos favorecido,e por um pais onde todos tenham o direito de VIVER com dignidade. Que seu GRITO possa ser ouvido por todos, ele calou fundo em meu coração, senti aqui as vibrações de um coração humano e perseverante.
    Só resta te dizer mais uma vez PARABÉNS!Que seja livre Portugal.
    Beijos com muito carinho
    Marilene

    ResponderEliminar
  25. Esse é também o meu sentir, estou demasiado apreensiva e preocupada...
    Bjs

    ResponderEliminar
  26. Um excelente poema, cheio de vigor, um grande mar de sentimentos e reflexão num dia tão especial para todos nós. Mas parecemos ser sempre essa esperança adiada, que não se cumpre.
    Gostei da alusão a Catarina Eufémia-
    Gostei muito!
    xx

    ResponderEliminar
  27. Salve 25 de abril! Há 40 anos Portugal se via livre com a revolução dos cravos!

    Que continue assim, que o poeta e todas as formas de cultura não se rendam aos ditadores de plantão.

    Belo poema!

    O Sibarita

    ResponderEliminar
  28. Amiga Sonhadora!
    Poema vibrante!
    Um grito de revolta ecoa nos seus versos,com a preocupação da situação do seu país.
    Beijinhos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  29. Abril não vai morrer nunca, enquanto houver quem grite, lute e participe na manutenção dos ideais de Abril.
    Temos direitos mas também temos obrigações, e está nas nossas mãos não deixar que nos tirem aquilo que tanto custou a conquistar.
    Devemos honrar quem durante anos lutou (e alguns perderam a vida), para que o Dia da Libertação acontecesse.

    Vamos dar (já demos muitos)alguns passos atrás, não tenho dúvidas, mas acredito que o caminho será sempre em direcção à concretização de uma sociedade justa, que todos merecemos.

    Eu tinha 17 anos quando Abril aconteceu. Sou de família que esteve presa e foi torturada só porque era contra o regime, contra a guerra colonial (tão pouco falada), e, se comparar os tempos dos meus bisavós, avós, pais e os tempos de agora... sem dúvidas que muito se ganhou.

    É certo que muito mais há para fazer e eu acredito que vamos conseguir. Está nas nossas mãos.

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  31. Sim , que se cumpra Portugal .
    Gritemos e não só . . .


    Um beijo , Rosa Maria ,
    Maria

    ResponderEliminar
  32. Excelente grito.
    Gostei imenso deste teu poema de intervenção.
    Rosa Maria, querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  33. Rosa,

    Que nunca as vozes se calem.
    O grito de liberdade é pra se ouvir longe.

    Belo poema

    Beijos

    ResponderEliminar
  34. Que as vozes nao se calem... que assim seja para todos os portugueses...

    Que seu fim de semana seja de paz...

    Beijos...

    ResponderEliminar
  35. Querida amiga, eu vim agradecer a sua doce presença em meu cantinho!
    Obrigada pelo carinho de sua presença e amizade!
    Por favor, me perdoe o copia e cola, é que no momento estou muito sem tempo para deixar aquele recadinho especial.
    Hoje sou portadora de uma linda noticia.
    Eu e meu marido somos avós, Ligia a nossa netinha nasceu ontem ás 6 h.3º da manhã.
    Nasceu de 7 para 8 meses, mas com a graça de Deus ela está bem e a minha nora tmaém!
    Um maravilhoso fim de semana para você.
    Abraço amigo
    Maria Alice


    ResponderEliminar
  36. Querida Rosa,

    Belíssimo grito poético de

    louvor a liberdade,justiça

    e dignidade. Muito especial com

    a tua voz poética (única)

    que transmite sentimento,

    amor à Pátria...

    Emocionante,adorei!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  37. um poema grito!

    actual e muito belo.

    bom fim de semana.

    beijo

    :)

    ResponderEliminar
  38. Olá Rosa! Mais uma vez aqui me faço presente para apreciar um dos teus belos poemas, principalmente a estrofe abaixo:

    Deixem-me gritar ...pelos filhos da miséria...da escravidão
    Por todos os homens que dormem nos braços da incerteza
    Deixem-me gritar...pelas crianças a quem roubaram o pão
    E pelas mães que embalam os filhos no regaço da pobreza

    É isso aí amiga! Se pisam do calo, o melhor é gritar e não calar.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderEliminar

  39. Olá Rosa querida,

    Belo e ardoroso grito em forma de poesia. Que as vozes não se calem quando se trata de defender a Pátria, os direitos de um povo e de salvaguardar conquistas, como as decorrentes da 'Revolução dos Cravos'.

    Ótimo final de semana.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  40. Boa noite Rosa!
    O teu poema é um hino de revolta...nele está tudo dito! Penso que grande parte dos portugueses sentem tudo isso,mas aqui tudo posto a nu e de uma forma maravilhosa!Parabéns, amiga!

    ResponderEliminar
  41. Obrigado por este maravilhoso poema.
    Também eu quero gritar, mas as palavras emudeceram na dor que trago no peito.
    Procurei ler a incontinência dos perseguidos, a raiva dos desempregados, as lágrimas dos famintos.
    São gritos de sangue em todas as madrugadas que nos roubam com sorrisos de desprezo pela vida e pela dignidade.
    Espero poder agora acompanhar todos os blogues, mas ainda existem alguns problemas a resolver. Agradeço a sua presença e o carinho dos comentários.

    ResponderEliminar
  42. Lindo, como sempre, profundo, intenso, por isso gosto tanto de passear por aqui, vc é memso um belo showww e merece beijinhos e beijinhossssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  43. Lindo, como sempre, profundo, intenso, por isso gosto tanto de passear por aqui, vc é memso um belo showww e merece beijinhos e beijinhossssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  44. Minha querida Rosa Maria, um magnífico poema que honra a nossa história...a história de um povo que com a maior dignidade viu conquistada a sua liberdade...um povo que teve esperança, que construiu sonhos que almejou viver...
    Um povo que hoje chora por lhe deceparem as veias...e o grito do seu coração...

    Beijinhos querida amiga Poeta!

    ResponderEliminar
  45. ACREDITAR é preciso!
    poema lindo, Sonhadora.

    beijinho carinhoso.

    ResponderEliminar
  46. Gritamos, sim. E que a voz dos poetas nunca se cale.
    Um poema muito intenso a dizer todo o nosso sentir.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  47. OI ROSA MARIA!
    TEU POEMA, COMO SEMPRE SÃO TEUS ESCRITOS, TRAZEM TUA ALMA NELES IMPRESSA. NA ELOQUÊNCIA DE TEUS VERSOS, SENTE-SE TEU PATRIOTISMO E DESAGRADO QUANTO AOS RESULTADOS DA REVOLUÇÃO DE "ABRIL", TÃO DURAMENTE CONQUISTADA PELO POVO PORTUGUÊS.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  48. Li essa obra prima no blog da Celina agorinha! Ficou especial essa poesia! bjs,

    ResponderEliminar
  49. Um grito necessário!

    Beijinho e desejos de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  50. Eu sei o quanto é importante para vocês o mês de abril, leio o poema com calma para bem entender. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar

  51. Querida amiga,

    estou muito lerda para comentar, leio muito, mas escrevo menos, porque estou com uma inflamação crescente no meu braço direito.

    Bjs

    ResponderEliminar
  52. Belíssimo grito de coragem. É hora de dizer NÃO!

    Beijinho carinhoso, SIM!

    ResponderEliminar
  53. O poeta grita e o povo escuta de forma a tocar a alma, a consciência, os corações.
    abraço

    ResponderEliminar
  54. Belíssimo poema! É grito que busca o melhor para esse lindo país. Parabéns! Beijos.

    ResponderEliminar
  55. É verdade, Rosa, que o poema é uma arma.
    É, de facto, um dos mais poemas deste Abril que estão a desvirtuar.
    Beijo amigo

    ResponderEliminar
  56. Querida Rosa Maria
    Um belo poema em que clama pela Liberdade!
    Oxalá não se perca o que já foi conquistado!
    Parabéns.
    Beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  57. Oi, Rosamaria!
    As vozes não podem se calar, até porque a geração que não era nascida aquela época precisa saber dos males para que o mau não se instale novamente.
    Beijus,

    ResponderEliminar
  58. Boa tarde,
    Deixa-me lutar pela dignidade do povo que continua oprimido pelo cinismo do enriquecimento com benefícios fiscais e outros.
    Deixa-me lutar contras as palavras vãs de esperança.
    Deixa-me lutar contras este políticos que utilizam contra o povo, a técnica de por a cenoura à frente do burro para este andar com a esperança de apanhar a cenoura.
    Deixa-me lutar contra um homem que se diz presidente dos portugueses.
    Deixa-me lutar a favor dos direitos do povo constituídos.
    deixa-me votar contra os malfeitores do povo.
    Sem pensar nestes (des)governantes) tenha um dia feliz.

    Ag

    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  59. Uma bela poesia plena de sentimento patriótico.A poesia é um instrumento que muito pode fazer.
    Beijos, Élys.

    ResponderEliminar
  60. Minha querida, coloquei muito recentemente esta Trova também e que tristeza ser tão actual...

    Sim, cumpramos Portugal!!

    Abraço forte

    ResponderEliminar
  61. Que o teu grito encontre abril porque ninguém o encontra.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  62. Minha querida passando rapidinho só para lhe dar um olá, uma boa tarde e lhe dizer que apenas hoje li sua entrevista na Rede com a Sereia,admiro-te mais ainda. Belíssimo poema este... é um grito de alerta para um país cheio de encantos e talentos.
    Bjus de luz e paz
    Clarice

    ResponderEliminar
  63. Gritos assim hão-de ser sempre necessários, com mais ou menos intensidade, por uma ou outra razão. E a poesia, a arte, são certamente formas de largar esse grito!
    Não perdamos as palavras, então!

    ResponderEliminar
  64. Querida Amiga,

    neste dia de festa, os mesmos pedidos de sempre... que as injustiça e as desigualdades sejam banidas deste país...

    Beijinho, com carinho
    Alex

    ResponderEliminar
  65. Que lindo Rosa....gritos necessários!!!!

    ResponderEliminar
  66. Reli o teu magnífico poema e continuei a gostar de o fazer.
    Querida amiga Rosa Maria, bom resto de feriado e bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  67. Olá,
    Meus desejos de um bom feriado, para você.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  68. Olá, amiga. Um grito de liberdade, de justiça, de igualdade! Belissimo. Bom fim de feriado! Beijinhos e obrigada pelo carinho,

    ResponderEliminar
  69. Que belíssima poesia, Rosa!
    Um grito de liberdade desferido pela Alma!
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderEliminar
  70. Boa tarde, Rosa. Passando para te fazer um convite.
    O Prêmio The Cracking Chispmouse Blogggywog Award,está em meu blog "Carinhos Em Selos".
    Espero que pegue, mas sinta-se à vontade.
    Recebi da amiga Rose Sousa e repasso para 15 espaços amigos.
    Fique com Deus e excelente dia de paz!
    Beijos na alma!

    http://carinhosemselosdosamigos.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  71. Mais do que poema, é força, convulsão, abalo. É quase um tiro surdo que pretende ecoar por entre as almas adormecidas e acertar nos corações empedernidos que nos têm vindo a agredir. Partilho dos sentires que expressaste neste poema que me diz tanto!
    UM BJO de força! :)

    ResponderEliminar
  72. Passando e deixando um beijinho, apesar de falho voltode vez em quando.

    ResponderEliminar
  73. Querida que belo gripo de amor ao teu Portugal!
    “ Poeta é aquele que em estado de graça partilha doces sensações e músicas interiores que assobiam sinfonias inéditas, para que o tempo o leve no rodopio de uma dança inesquecível.”
    Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  74. .

    .

    . bravo . rosa . bravíssimo .

    .

    . um beijo meu .

    .

    .

    ResponderEliminar
  75. Um bom Poema de intervenção. Destaco a minha concordância
    "(...) Deixem-me gritar...pelos cravos que de negro se cobriram
    Pelas promessas rasgadas com o chicote da desigualdade
    Por todas as mães que choram...pelos filhos que partiram
    Deste chão que é nosso...deste povo que já gritou liberdade(...)".

    Parabéns, Amiga. Um bom Documento Poético.



    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  76. Olá. Vim agradecer, embora um pouco tarde, sua visita ao "Arca". O seu blog é bem interessante. Voltarei outras vezes. Grande abraço.

    ResponderEliminar

  77. Um grito feito de vários gritos, abarcando a nossa dor, o desencanto e a tristeza.

    Obrigada, cara Rosa Maria.

    Bjs

    Olinda

    ResponderEliminar
  78. Que linda Poesia e nada melhor do que a Poesia para lançar esse grito !

    ResponderEliminar
  79. Querida gritar por um abjetivo é
    bom e em forma de poesia ficou perfeito parabéns sempre
    e bjão agradecendo sempre seu carinho


    Bom final de semana
    Bjusss
    **Rita**

    ResponderEliminar
  80. Olá, querida Rosa
    Que o seu país seja lindamente abençoado e cumulado de paz!!!
    Lindo poema tão saído do coração!!!
    Seja vc também feliz e abençoada!!!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  81. Oi Rosa
    Uma linda mensagem onde o amor à Pátria amada está acima de tudo,
    não podemos nos calar - indignarmos sempre diante da irresponsabilidade que tanto mal tem causado a todos ,
    Que possamos ver uma Pátria justa e um Portugal mais feliz!
    deixo abraços

    ResponderEliminar
  82. Querida amiga Rosa, hoje vim agradecer pela delicadeza de atenderes o meu pedido , trazendo este primor de poesia , muito obrigada amiga, que a inspiração seja uma constante em tua vida para produzires joias como estas, que vem engrandecer a poesia, não so portuguesa mais de todos nós, vai um abraço de e carinho . Celina.

    ResponderEliminar
  83. Haverá sempre quem se erga, quem não cale a
    sua voz, quem queira Abril vivo.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  84. Oi Rosa,
    Um poema lindo a sua pátria amada.
    Que as vozes não se calam...
    Beijos e ótima semana!

    ResponderEliminar
  85. Olá.
    Que todos tenhamos um dia de domingo bom. Com muito sol, paz e harmonia.
    Que o Criador, não esqueça jamais, das nossas lutas, mesmo aquelas individuais, e nos contemple com a sua piedade divina, e sobre tudo o seu perdão.
    Que a família continue sendo Sempre, o acolhimento de cada um de nós.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  86. Lindíssimo poema a tua pátria, um grito de revolta e alerta, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  87. Minha querida Rosa Maria
    Muito obrigado pelas tuas palavras de carinho e pela tua presença no meus modesto espaço.
    Não correspondo com a assiduidade que mereces... mas sabes que isso se deve apenas a falta de tempo.
    Conto, SEMPRE, com a tua adorável compreensão.
    Que o teu Dia da Mãe, ontem, tenha sido imensamente feliz.
    Beijos com muita amizade do
    Miguel

    ResponderEliminar
  88. O poeta as vezes mente, mas é verdadeiro ao expressar seus sentimentos, como uma alma recordando momentos da grande viagem na eternidade de suas existências. Dispensável dizer de seu talento, Rosa...sublime texto.

    Ghost e Bindi

    ResponderEliminar
  89. Obrigada, Rosa, por este grito que é de todos nós. Vivemos esse dia inesquecível e agora vemos que não o respeitam, nem o dia, nem o povo e muito menos a Pátria. Que não nos tirem pelo menos a possibilidade de gritar a nossa revolta e a nossa mágoa. Beijinhos, amiga e parabéns pela bela forma de lembrares este dia 25 de Abril.
    Emília

    ResponderEliminar
  90. Junto o meu grito ao teu amiga Rosa.
    Que os poetas nunca se calem.

    Depois de uma pausa necessária voltei para visitar os meus amigos e amigas.

    Beijinho


    ResponderEliminar
  91. Rosa,
    Apesar da reformulação constante, Portugal há-de cumprir-se com as janelas que Abril abriu.

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  92. Da distante Irlanda onde me encontro, não a esqueço, nem a
    sua poesia.Eu também estarei
    sempre com Abril até meus olhos
    se fecharem.
    Desejo amiga que esteja bem.
    Um beijinho de muita amizade.
    Irene Alves

    ResponderEliminar


  93. Querida amiga, vim curtir novamente seu blog. Esta poesia é tão forte, estupenda! Bravo!

    Bjs

    ResponderEliminar
  94. EI MOÇA! KKKKK

    FELIZ DIA DAS MÃES!

    O SIBARITA

    ResponderEliminar
  95. Deu apar ouvir seu grito , belo poema
    Tem um sorteio rolando no meu novo blog, quero muito quer voce participe
    http://lojatricoecompanhia.blogspot.com.br/2014/05/sorteio.html
    bjs

    ResponderEliminar
  96. " Surpriendentes
    As Cores
    Que Damos
    As Nossas Dores " ( Eloah)
    Cada novo dia vem salpicado de
    esperança e novas possibilidades.
    E tudo é melhor quando o sol está brilhando
    e nos aquecendo em cada alvorecer.
    Não deixe que nada afete a alegria do seu coração.
    A felicidade está alcance do teu abraço.
    Então receba o meu.
    E acredite é com todo amor que existe
    na minha alma e meu coração.
    Feliz Dia das Mamães .
    Hoje no Brasil
    Carinhosamente.
    Afilhada
    Evanir.

    ResponderEliminar

  97. Um grito de liberdade extraordinàriamente bem poemado.

    A isto já nos habituaste. A uma qualidade superior. Suplantas-te sempre

    Bom domingo

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  98. °✿彡º°。

    FELIZ DIA DAS MÃES!!!
    .°º。✿
    Beijinhos carinhosos.
    ✿✿⊱.Brasil°º。✿° ·.

    ResponderEliminar
  99. Que a esse grito se unam muitos outros, a fim de que a esperança não sucumba. Um belo canto, Rosa, contra tudo que engasga, na emoção. Bjs.

    ResponderEliminar
  100. OI ROSA!
    PASSANDO POR AQUI, LI TEU TEXTO NOVAMENTE E MAIS UMA VEZ ME ENCANTEI. PARABÉNS AMIGA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  101. Querida amiga Rosa, cá estou para ver as novidades e não as tendo, li e reli novamente essa poesia que me encantou profundamente pela profundidade das emoções.
    Receba meu abraço apertado de ♥ pra ♥
    Marilene

    ResponderEliminar
  102. Contra todos os agravos,
    E contra o Abril de alguns,
    Que se fodam os falsos cravos,
    Que de tantos não restou nenhum!...

    A todos esses cravos eu digo não,
    porque em cada um deles há um cabrão!...



    Apesar da linguagem abrejeirada e nada condizente com este seu inocente espaço, é este um verdadeiro grito de revolta e desprezo pelos falsos cravos que mais não serviram para abrir jardins de desigualdade entre a inocência e a pouca vergonha!...

    Desculpe, Rosa Solidão, mas...


    Abraço

    ResponderEliminar
  103. "clama poeta o teu grito ao mundo..."

    A poesia também tem essa função.


    Belo, Rosa.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  104. Um grito que tem de soar longe e...SEMPRE! Bonito poema.
    Mil beijos
    Graça

    ResponderEliminar
  105. depois de um tempo afastada, estou retornando com meu blog..
    adoraria receber tua visita..

    bjs.Sol

    ResponderEliminar
  106. Forte grito de amor, de paz , de liberdade e de esperança.Belo poema amiga.Amei!Forte abraço.Eloah

    ResponderEliminar
  107. Boa noite Rosa.
    Uma linda poesia,um grito da alma por liberdade.
    Um lindo domingo.
    Beijos

    ResponderEliminar

Amigos são velas acesas ao fundo da escuridão
alumiando o caminhode volta...a presença doce e
serena numa noite de tempestade...são o abraço
suave da vida...palavras ditas muitas vezes em
silêncio aquecendo a alma e o coração.

Um beijinho carinhoso a todos que por aqui passam.
Sonhadora